domingo, 28 de dezembro de 2008

Philippe Pinel


Influenciado pelos ideais do iluminismo e da Revolução Francesa, Philippe Pinel (1745-1826), diretor dos hospitais de Bicêtre e da Salpêtrière, foi um dos primeiros a libertar os pacientes dos manicômios das correntes, propiciando-lhes uma liberdade de movimentos por si só terapêutica. Desde que a questão dos "loucos" passa a ser um assunto médico-científico, surgem duas correntes diferentes de pensamento com relação ao trato dos pacientes e à origem de seus males. Uma crê no tratamento "moral", nas práticas psico-pedagógicas, nas terapias afetivas como mais importantes. Outra focaliza o tratamento físico, crendo ser a loucura um mal orgânico, fruto de uma lesão ou de um mal funcionamento encefálico. Para esta última, o ambiente dos manicômios, suas instalações, não são tão relevantes para o tratamento.
Mesmo após as reformas instituídas no século XIX por Pinel, um dos primeiros a aplicar uma "medicina manicomial", o tratamento dado ao interno do manicômio ainda era mais uma prática de tortura do que a uma prática médico-científica. Tanto a corrente organicista quanto aquela que acreditava no tratamento "moral", não dispensavam os tratamentos físicos. Nestes tratamentos buscava-se dar um "choque" no paciente, fazer com que passasse por uma sensação intensa, que o tirasse de seu estado de alienação.
Eram correntes as práticas de sangria, de isolamento em quartos escuros, de banhos de água fria, além dos aparelhos que faziam com que o paciente rodopiasse em macas ou cadeiras durante horas para que perdesse a consciência.
Através da história, alternam-se momentos em que predominam as correntes "morais" e organicistas para o tratamento dos doentes mentais dentro da ciência médica. Este último século foi marcado pelo aumento da contribuição das ciências humanas no sentido de entender a loucura como também uma categoria social, com diferentes sentidos em diferentes culturas e períodos históricos. A institucionalização, a exclusão do convívio social, também passa a ser entendida como uma prática histórica que, por si só, não significa o tratamento mais adequado para aqueles que entendemos como doentes mentais. Do mesmo modo como nasceu em um determinado período histórico, ela também pode acabar.
ESSE ESPAÇO FOI CRIADO PRA APRESENTAR AS LOUCURAS QUE SÃO FEITAS PEL@S SERES QUE SE DIZEM NORMAIS....
APESAR QUE BEM ANTES DAS ATIVIDADES DE PINEL, OS MANICÔMIOS JÁ EXISTIAM. VIVEMOS NA VERDADE EM UM GRANDE MANICÔMIO! ONDE AS PESSOAS DITAS "NORMAIS" VIVEM SOLTAS BARBARIZANDO O MUNDO. E AS DITAS "LOUCAS" SIMPLESMENTE SÃO TRANCADAS PARA NÃO TER CONTATO COM AS LOUCURAS QUE SÃO PRATICADAS NA SOCIEDADE.
AFINAL....QUEM É LOUCO E QUEM É NORMAL?
RESPONDO: NINGUÉM É NORMAL. TOD@S TEMOS ALGUMA ATITUDE "ESTRANHA". VIVEMOS EM ESPAÇOS QUE ÀS VEZES NOS OBRIGAM A MENTIR, A SE ESCONDER, A ATRAVESSAR A RUA QUANDO VEMOS UMA PESSOA INDESEJADA, A MATAR, A CORROMPER, A "POLITICAR".....
POR ISSO CRIEI ESSE BLOG!
PRA MOSTRAR AS LOUCURAS DAS PESSOAS....SOLTAS POR AÍ!!!

Um comentário:

ALGUÉM disse...

loko esse texto....